segunda-feira, 29 de abril de 2013

Especial das mães desta vez com minha querida madrinha ,Marisa Corbellini Gomes.

Olá pessoas!!!!

Quando eu achava que nada mais viria em forma de depoimento eis que recebo este da minha querida e amada madrinha eu que achava que encerraria esta série de homenagens me senti muito prestigiada,acredito muito que jesus fala nos ouvidos das mães,pelo menos eu sempre falei isto para meus filhos desde que eram bem pequenos,posto isto tenho certeza que ele falou no ouvido da minha mãe¨ Rosa a madrinha desta menina não pode ser outra que não seja a Marisa ¨,sabe  estas pessoas que você tem certeza que vai te entender e se mesmo assim ela não o fizer te dará colo e carinho esta é a minha Mary como eu gosto de chamar,uma pessoa doce,guerreira ao extremo e a pessoa mais parecida comigo que eu conheço,juntas formamos uma dupla imbatível e é no colo dela que acalmo meu coração muitas vezes ,nossas conversas são sempre tão produtivas e divertidas que rendem horas de tel,já que moramos longe uma da outra,ela é uma destas pessoas que não preciso falar  sempre ,pq na primeira oportunidade será como se acabássemos de nos despedir.

Obrigada pela tua emoção ela foi muito importante para mim,não saberia nunca como te agradecer ,então faço minhas as palavras de Hilda lucas e espero que gostes disto que eu gostaria de ter escrito para ti pq é exatamente assim que eu te sinto,receba todo meu amor nas palavras de  DELICADEZAS.


DELICADEZAS



Acredito na eloquência dos pequenos gestos, das palavras bem ditas, no toque, no olhar que pousa sobre o nosso olhar como quem diz "estou te vendo".

Acredito em presentes e mimos fora de hora, em flores inesperadas, em cartões escritos com zelo e alegria, em perguntas atenciosas, em conversas olho no olho, em bolos caseiros despachados como afagos.

Acredito em amabilidades, em cortesias, em gentilezas. Todo mundo acredita, eu sei, mas nem por isso trocamos mais gentilezas. É como se as pequenas atenções pertencessem a uma categoria menor de preocupações, como se elas fossem o último item da nossa agenda, como se para elas precisássemos de um tempo diferente ou de uma sobra no nosso tempo.

É como se pensássemos: se der tempo, eu vou ligar, eu vou fazer. No entanto, é ao contrário: é preciso cuidar para ter esse tempo de gentilezas.

Ser delicado é o exercício de incluir o outro no nosso raio de ação; é a possibilidade cotidiana de externar no nosso afeto; é liberalidade, pura e simplesmente, muito mais que generosidade, é graça. Ser gentil é um estar na vida desarmado, atento, aberto. Está na qualidade do "bom dia", no comportamento no trânsito, no timbre da voz ao atender ao telefone, na disponibilidade para ouvir, acolher, trocar.

Não se trata de ser alegrinho, bonzinho, fofo... Trata-se de ser amável, de buscar o amável no outro, de imprimir cortesia, encantamento e prazer ao dia a dia. É um treino, uma escolha, uma atitude que se imprime e da qual se impregna porque gentilezas são na verdade transbordamentos da nossa alma.
Somos nós os principais beneficiários da nossa amabilidade.

Nossa gentileza é tão somente a nossa própria experiência interior de cuidar bem de nós mesmos,de em sendo amorosos e afáveis conosco,podermos ser com os que nos cercam.


E com vocês o último depoimento:Marisa Corbellini Gomes.




    Há algumas semanas atrás, minha querida sobrinha e afilhada Simone pediu –me para escrever algo sobre minha vida de mãe. Fiquei pensando o que escrever, pois realmente minha estória é longa e cheia de experiências de vida. Não chegava a uma inspiração.

       Tenho acompanhado este seu vôo, lendo este “blog”, desde a primeira publicação, e fico muito orgulhosa dela. Hoje, lendo seu Blog, vi sua publicação e me emocionei profundamente, precisava dizer isto antes de escrever. Esta emoção despertou minhas idéias. Por que?
Porque me vi ali, naquelas palavras, nos sonhos, sofrimentos, noites mal dormidas, desejos pessoais “empurrados pra frente”, renuncia em nome da saúde, das provas nas escolas, das apresentações ao fim do ano escolar, e por aí afora, tantas coisas que nem dá para enumerar.....
     Simone, não estou te plagiando, apenas te digo que esta é a vida de mais uma mãe, como tantas que estão neste mundo. Somos todas meio parecidas...
     Comecei cedo minha vida de ‘’adulta” , quando aos 15 anos me apaixonei por um  “jovem impetuoso e corajoso “, Luiz Carlos, e com ele formei minha família, e vivi toda esta vida de alegrias e agruras, mais alegrias, com certeza.
    Amei profundamente minha querida Giacomina = “Vó Nina”, embora tenha sido criada por ela de forma completamente diferente do que criei e eduquei meus queridos cinco filhos. Porém, uma coisa ficou igualzinha: caráter, garra, força para o trabalho, amor pela família acima de qualquer coisa, que ela me transmitiu, e eu que consegui transmitir aos meus filhos. Tenho muito orgulho (e não tenho medo de pagar este pecado)  de meus cinco filhos. 
     Recebi também de minha mãe o gosto pela cozinha , e através dela procuro agradar a todos que chegam à nossa mesa .As coisas sempre acabam acontecendo em volta da mesa , esta é uma tradição da origem italiana, que faço questão de manter.


-  Andréa, minha primeira “produção”, tão linda e exuberante quanto voluntariosa e determinada. Decoradora , mãos e criatividade de ouro, onde põe as idéias que fervilham em sua cabeça, tudo fica “maravilhoso”. Deu-me três maravilhosos netos.
Carlos Henrique, o numero um de todos, lindo, responsável, carismático, afetuoso !
Rafael, lindo, inteligente, acho que este herdou o gosto pela cozinha dos Corbellini, vá em frente meu gatão.
Sofia, princesa, linda, flor que já desabrochou em todo seu esplendor, e  em todos os sentidos!!



 - Helen, minha segunda flor, “nossa linda pretinha”, quantas noites mal dormidas por ela, pois conseguiu a proeza de passar por todinhas as doenças infantis, e mais algumas graves...Querida “doutora das leis”, sua espiritualidade nos orienta e guia nossos passos.
Helen trouxe Felipe, meu moreno lindo, já quase um homem,   possuidor de  um caráter forte e determinado, este ” promete” ...   


- Débora e Carla – meu duplo presente de Deus .
Primeiro a Débora, a mais velha das gêmeas, quando nasceram, ela estava com pressa, veio primeiro, e me deu um susto, pois esperávamos um “nenenzão”, e ali estava uma bonequinha, miudinha , que cresceria linda e forte, se transformando nesta mulher autêntica, sensata, equilibrada, que me dá tantos conselhos, e que me deu 02 lindos netos  loiros de olhos azuis, Gabriel e Beatriz, dois brilhantes preciosos  no colar da minha vida. Seu amor pelos animais se reflete em sua profissão - Veterinária .


Em segundo, 5 “ depois , logo em seguida , veio a Carla, para completar a “minha parelha”. Realmente, “minha parelha”, me fez mais completa e feliz, sempre falo que só quem tem a graça divina de ter filhos gêmeos sabe o que isto representa. São alegrias duplas, momentos únicos, felicidade dupla, obrigada meu Deus, por esta  benesse. Carla transformou-se em uma mulher guerreira, exemplo de vida, a força de nossa família para seguir sempre em frente,  exemplificando sempre que problemas vem e vão, mas que a fé que nos move, nos sustenta. Fisioterapeuta , reflete em sua disponibilidade interior a profissão que escolheu . Há sete anos apareceu-lhe  um problema de saúde, que as vezes aparece com sua sombra no horizonte de novo, mas, ao invés de sermos nós, ela é que nos dá força para superarmos e acompanhá-la em sua jornada. Seus  dois frutos, Caio e Rodrigo, são dois meninos lindos;  o Caio é meu fã incondicional nos meus “ quitutes e geleias” e o Rodrigo,  espontâneo e descontraído em suas colocações, acho que será “ o protetor dos avós” , lá no futuro .....


         Por fim, quando eu achava que nada mais ia acontecer, chegou meu único filho homem, que traz o nome do pai, Luiz Carlos Júnior, e que realmente foi o fecho de ouro para minha maternidade. Foi uma experiência ímpar, e um desafio criar um filho homem, ao lado de quatro mulheres. Hoje posso dizer que obtivemos, eu e o Luiz Carlos, meu companheiro de 48 anos, muito sucesso em nossa empreitada, Júnior é lindo, por dentro e por fora, homem com H maiúsculo, amigo das irmãs e de todos, ótimo pai e marido, enfim, tudo o que um pai e uma mãe poderiam desejar.  Apesar de ser “um mestre nas vendas” (saiu ao pai, com certeza), se arrisca muito bem também pelo mundo da cozinha, (nisto saiu à mãe....).Tem três lindos meninos, Victor, o mais introspectivo dos netos, mas que consegue externar seus desejos e afetos, e muito bem , Thiago, amorosíssimo, que a cada visita, quando vem lá de Floripa, me deixa mais feliz por ser sua avó. E por ultimo, o nosso mais novo Gomes, o “nosso japinha”, Luiz Guilherme , lindo bebê, que tem enchido nossa vida de alegria,  que é fruto da união com a Carol, minha querida nora, mulher forte e destemida.
        Não poderia aqui deixar de agradecer aos meus genros, por existirem e terem ajudado a formar nossa família, sei que para eles sou uma 2ª mãe , e  assim  é nossa relação: respeito e afeto.
          Porque falei dos netos, e não só dos filhos? Porque eles são o mel da vida das mães e avós, só por isto, e completam  e compõem a vida da família. Sem eles, nossa vida  estaria vazia.
        Simone, obrigada pelo convite, espero não ter me alongado demais, mas deixei aqui meu coração, um pouco de minha vida: amor, alegrias, realizações, sofrimentos, dores, angústias,falta de dinheiro,muitos percalços, muito trabalho, muita coragem para migrar do Sul para esta hospitaleira terra de São Paulo, saudades , enfim , muitos resultados obtidos à custa de muita renuncia, compreensão e resignação, sim, tudo isto houve, mas a união e o amor que existe entre nós hoje, entre meu fiel companheiro de 48 anos de casados e eu , que nos permitiu formar este  “galho” Marisa e Luiz Carlos Gomes , a partir dos  “Clã” Corbellini e “Gomes”, são a felicidade incomparável .



      Segue uma receita, que a Vó Nina fazia, e que eu adoro: “Bacalhau ao Leite”


1 posta de bacalhau dessalgado (1/2 kg) - alecrim  fresco - 1 galho (só as folhinhas ), pimenta do reino à gosto,  1 c sopa de manteiga, 1 dente de alho esmagado ,  1 colher de chá de canela em pó, 1 copo de  leite.
Desfie o bacalhau, não muito, e refogue na manteiga com o alho amassado, por no máximo 4 minutos, e fique mexendo todo o tempo.
Coloque  o alecrim desfolhado e canela em pó, o leite , deixe ferver por 5 minutos e sirva. Comer com pão fresco. Bom Apetite!!!

Espero que tenham gostado como eu .
beijocas

     

7 comentários:

  1. Simplesmente o Máximo esse post!!!
    Jamais teria esse poder de síntese de forma tão realista e ao mesmo tempo autêntica sobre cada um de nós ... mãe sempre achei que devias escrever um livro ... eis aí o prefácio !!
    Simone prima do coração e de muitas estorias de infância obrigada por proporcionar esse momento único.
    Beijos .....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que tenho que agradecer ,dividir nossa histórias é sempre um ganho para todos,O momento foi único mesmo,
      bjs no coração.

      Excluir
  2. MÃE, com todas as letras maiúsculas. MÃE MARAVILHOSA! Minha MÃE realmente, conseguiu passar um pouquinho de si para cada um de nós 5 filhos. Não seríamos ninguém sem os exemplos e o seu amor incondicional.
    Obrigada Simone, obrigada MÃE.

    ResponderExcluir
  3. Obrigada Carla por me permitir dividir com todos que me seguem.
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Mãe, quanto orgulho de ser tua filha! Somente quem teve esse privilégio de ter essa mãe única e tão especial pode sentir, obrigada mãe. E Feliz Dia das mães!

    ResponderExcluir
  5. São exemplos de vida como estes que nos impulsiona e nos inspira. Parabéns a Marisa pelo lindo texto, especialmente pela homenagem aos filhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela é realmente um apessoa muito especial Célia!!!
      bjs

      Excluir